Direta                    Indireta            Direta/Indireta         de Destaque

Tipos de Iluminação

A iluminação correta integrada ao projeto arquitetônico causa bem-estar e conforto nas tarefas do cotidiano.

   
 

A luz, independente se for natural ou artificial, acaba se tornando um meio de comunicação, pois a maior parte da nossa percepção é captada através da visão. Devido a sua variação de cor e intensidade ao longo do dia, ela interfere no nosso organismo e nos proporciona diversas sensações, como tranqüilidade, sonolência, irritabilidade, energia, etc. Sendo assim, é impossível ser desenvolvido um projeto arquitetônico sem pensar em uma iluminação correta.

O profissional luminotecnico deve sempre considerar as atividades exercidas no espaço sendo estabelecidos os pontos e tipos de iluminação necessários. Um projeto compõe-se de desenhos como plantas, cortes, perspectivas, detalhes, memorial descritivo com as especificações do sistema de iluminação (conjunto de: lâmpadas, refletor - luminária em si - e equipamentos). Hoje em dia as casas possuem ambientes integrados e com múltiplos papéis, sendo assim, tem-se uma exigência maior em relação ao tipo de iluminação e sua flexibilidade, transformando um ambiente em vários com apenas um clique. Seguindo esse contexto, pode ser trabalhado três tipos de iluminação:


1 - Difusa – Que ilumina todo o espaço com uma luz mais homogenia.
Muito utilizado em cozinhas, escritórios, banheiros.

2 – Direta – Luz incidindo diretamente em uma superfície. Ilumina um local especifico, como o local de trabalho (iluminação focada na mesa, por exemplo). Dentro do conceito de luz direta existe a iluminação de efeito, torna o ambiente mais cênico e a de destaque que realça quadros e objetos decorativos.

3 – Indireta – Fluxo luminoso (luz) é projetada em paredes, tetos, para depois ser refletido na superfície a ser iluminada.
Muito utilizado em ambientes que requerem aconchego. Exemplo home theater e quartos.


A iluminação pode se considerar algo lúdico, pois nos relacionamos com ela de modo que possamos criar várias cenas, isso se dá por meio de equipamentos adicionais (como dimmer, sensor de presença e serviços como automação) e circuitos separados. Além disso, a grande tecnologia do LED (diodo emissor de luz) com seu sistema RGB proporciona mais de 600 cores num ponto só de luz.

- GARAGEM -

Ambiente onde exige total segurança e praticidade. Por esse motivo, o sensor de presença nesse ambiente é essencial. E para aqueles que preferem uma iluminação constante, vale lembrar que é preciso uma iluminação contendo lâmpadas fluorescentes para que não tenha um alto consumo de energia.

- HOME / LIVING -

Para recepcionar parentes e amigos. Nesse ambiente temos que levar em conta o conforto. Geralmente é utilizada uma iluminação mais indireta e amena com pontos de iluminação focada (com destaques em quadros e objetos decorativos), iluminação auxiliar (como colunas, abajur, arandelas). Pode ser utilizada a dimerização onde é controlada a intensidade de luz do ambiente, tornando-o funcional pra cada tipo de atividade.

- HALL DE ENTRADA -

É onde se tem a primeira impressão da residência. Pode ser trabalhado com duas opções: Utilizando peças decorativas (como pendente arandelas ou colunas).Essa peça é uma das mais importantes da casa. Ou pode se ter uma iluminação mais cênica, utilizando lâmpadas de efeito com peças mais técnicas e de fácil manutenção (uma vez que esse ambiente é na maioria das vezes pé direito duplo) que ao primeiro olhar só seja visto o efeito da iluminação e não a peça em si.

- ESCADAS -

Ambiente que necessita de uma boa iluminação pela questão de segurança. Pode ser utilizado balizador focado para baixo (demarcando apenas os degraus), arandelas ou peças de fácil manutenção no teto.

- BANHEIROS -

Total atenção na iluminação de bancadas, pias e espelhos para não gerar sombras indesejáveis no rosto. O correto é utilizar arandelas tanto na lateral do espelho quanto em cima do mesmo. Caso não tenha ponto de luz, pode utilizar spots no teto contendo uma iluminação direcionada. Na banheira fica muito interessante usufruir da cromoterapia (terapia das cores), utilizando spots focados com lentes coloridas, ou até mesmo o led rgb.

- COZINHA -

É uma área de trabalho, tendo que ser bem iluminada, porém, como é um ambiente que está cada vez mais integrado com a parte social da casa, merece ter uma iluminação que é ao mesmo tempo funcional, decorativa e confortável. Peças de fácil manutenção e limpeza devem ser a escolha numero um. Para que não haja sombra na área da pia, pode ser utilizado spots direcionados para a mesma. A mesa ou bancada de almoço ganha uma peça mais decorativa (exemplo: pendentes).

- ÁREA DE SERVIÇO -

Sendo um local de trabalho, é de extrema importância que tenha um alto nível de iluminação. Como é um ambiente que exige um longo período de tempo aceso, é necessário que seja utilizado lâmpadas fluorescentes (as econômicas – se utilizado de maneira correta), pois possuem uma temperatura de cor mais puxada para o azulado e de baixo consumo também.

- SALA JANTAR -

Esse ambiente tem que somar a questão de versatilidade, beleza e funcionalidade, pois é um local onde se realiza múltiplas atividades desde algo mais formal ao intimo. Geralmente a iluminação geral é composta de uma luminária pendente de estremo apelo decorativo que fica no centro da mesa. Pode compor também arandelas, spots para focar um aparador ou algum outro objeto.

- ESCRITÓRIO -

Local onde tem que prevalecer a atenção. Tem que ser um ambiente bem iluminado e sua iluminação de trabalho não pode se contrastar tanto com a iluminação geral do ambiente para não gerar ofuscamento indireto. Ter muita atenção quando possui computador para não causar reflexos indesejáveis. O ideal nesse ambiente é utilizar uma iluminação mais indireta.

- QUARTOS -

Por mais que seja um ambiente de descanso é essencial uma boa iluminação. Uma sugestão é utilizar peças decorativas de sobrepor ou uma iluminação mais indireta para que a pessoa que estiver deitada não ofuscar. Para quarto de casal, é essencial ter um outro tipo de iluminação que não seja geral (exemplo: arandela, abajur, etc.) assim ninguém precisa se preocupar em acordar seu parceiro em questão de leitura, etc.

REFERÊNCIAS & CRÉDITOS:

- http://cadhouse.com.br/html/matdicas/cad_home_dica_ilumartificial.html dia 23/02/10
- http://www.dominici.com.br/web/solucoes.ht
- Revista Arquitetura e Construção editora Abril edição junho/08
- Livro: Editora Ciência Moderna Iluminação Simplificando projeto


         Copyright © Todos os direitos reservados